sexta-feira, 22 de junho de 2012

Pisando em uvas


Há quem diga que morar no interior é coisa de velho. Então eu digo que sou uma velha feliz.

Quando eu era secretária na PwC e ficava o dia todo dentro da tranquilidade de um escritório, morar no interior de São Paulo era algo que estava nos meus planos de longo prazo; tipo quando eu fosse uma velhinha ou um pouco antes disso. Mas quando fui trabalhar de estagiária indo de fórum em fórum com meu carrinho mil sem ar condicionado na insana capital da cidade, o meu desejo de morar no interior passou a ser um plano a curtíssimo prazo, quase que uma necessidade para minha saúde mental. O Fabrício nem precisou terminar a pergunta: "Está afim de morar em .... " e eu já estava respondendo que "sim" !!! Sabe, eu precisava ficar longe daquela correria, daquelas pessoas capitalistas, frias e mascaradas que eu andava convivendo há alguns anos. Aquilo estava me sufocando e até deu pra saber o que é dor de estômago causada pelo stress - amigo inseparável dos paulistanos ....... afe.........!!
Depois de alguns finais de semana procurando casa em Jundiaí, veio a preparação de Deus. Um apartamento filé, com um preço acessível, num bairro tranquilo, ao lado de uma Parque com represa e com vista para a Congregação. Bom, eu simplesmente não precisava de mais nada. Uma cidade de interior mas com estrutura de cidade grande (afinal, pelo menos um shopping center precisa ter né) e apenas 40 minutos de São Paulo. Aqui vc sabe o que é ter vizinho, o que é cumprimentar as pessoas na rua, a compartilhar favores, a respirar um ar puro, a ser mais simples, gentil e mais humano. Ah e vc também esquece o que é pegar trânsito. 
O melhor mesmo foi saber que a CCB daqui é novinha em folha, estamos morando aqui há 2 meses e a igreja existe há apenas 4; tem ar condicionado, uma irmandade querida e a gente vai a pé pra lá. Tem coisa melhor ?? não, não tem !!!
Ainda não fizemos novos amigos; tem a Cláudia e o Eduardo que trabalha com o Fabrício e mora aqui no prédio, mas eles a gente já conhecia. Tenho orado nessa parte, pois dessa vez quem vai colocar as pessoas na minha vida vai ser Deus. Não vou sair por aí em busca de amizades através dos meu olhos, mas sim pela guia do Espírito Santo que trará as pessoas certas ao meu encontro. Por outro lado, estou aproveitando a mudança de cidade para excluir algumas pessoas da minha vida; pessoas que só estavam alí por estar, esperando uma desculpa como essa para dizer adeus ou até um dia, o tempo vai dizer........
Na vila onde eu moro (aqui não se fala bairro, é vila, rs) tem um hospital que cuida de crianças com câncer. Não sei não, mas estou muito querendo ir lá pra ver em que posso ser útil. Não estou trabalhando por enquanto, passo os dias estudando e acho que o mínimo que eu posso fazer é me dispor a ajudar um pouquinho; vamos ver no que vai dar.......
Ontem no elevador umas vizinhas puxaram conversa comigo:
- "Oi, vc quer dividir a panela de sopa com a gente?"
- "O quê ??? Como assim ??? Prazer meu nome é Talita, rs ........"
- "Dividir panela de sopa ué ........."
- "É que eu sou nova aqui, vim de São Paulo e lá não tem isso ........."
- "Ah tá, é assim ó: cada uma compra um item e depois a gente se reúne no apartamento de alguém e come o panelão de sopa. Fazemos isso no inverno"

Ai, que pessoas doces. Já começo a entender por que aqui é a terra da uva !!!!!!!!!!!!!!!

3 comentários:

  1. Talita senti a mesma coisa quando vim morar aqui na Holanda, parece que nasci pra viver aqui!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Que bom heim Aninha; é muito legal quando dá certo, ainda mais que vc está em outro país, é tudo ainda mais novo....... quem sabe um dia eu te faça uma visitinha, rs

    ResponderExcluir